100 Dias com a XRE

Parece até que foi ontem que recebi a XRE 300 Rally da autorizada Honda aqui de Sobradinho em Brasília-DF, tamanha a facilidade e naturalidade que é conduzir essa moto  no percurso de 46 km ida e volta que realizo diariamente para o local de trabalho na Asa Norte.

Como já havia publicado aqui, a escolha pela XRE se deu principalmente pelo fator economia, já que o motor monocilíndrico de 291cc chega a fazer médias de consumo entorno dos 26,5 km/l numa tocada bem suave nunca ultrapassando os 110 km/h nem excedendo os 7.000 rpm. O fator segurança pesou bastante também, visto que das motos menores até 400cc somente ela e a CB300 oferecem o freio ABS.

Mas vamos ao que interessa. As impressões depois de 100 dias pilotando a XeREta!
Saindo de uma Tiger 800 de 95 HP até pensei que o impacto seria maior. Mas uma vez guardadas as proporções e deixando claro que são 2 motos que não podemos comparar uma com a outra, a XRE me surpreendeu positivamente! No meu trajeto diário, 90% é feito em rodovia de alta velocidade, mas que muitas vezes apresenta lentidão devido ao sistema de cidades satélites (bairros) adotado em Brasília.

A agilidade da XRE impressiona. A moto é muito leve e o giro do guidão facilita até as mais difíceis manobras no trânsito desorganizado das cidades brasileiras. Trânsito esse que por diversas vezes já me obrigou a acionar os freios bruscamente para evitar acidentes ou escapar de fechadas fazendo trabalhar o ABS que sempre funcionou muito bem. A ergonomia é bem acertada, pois do “alto” dos meus 1,75m não sinto necessidade de utilizar um riser no guidão e me sinto seguro ao apoiar os pés no chão ao parar a moto nos semáforos. A suspensão tem bom curso e atende bem a necessidade urbana e pequenos passeios off-road. Como já disse anteriormente as motos trails são as motos do Brasil. A conservação de nossas ruas e estradas é péssima e isso se reflete nos veículos que precisam de manutenção de pneus e suspensão constantemente.

O motor tem bom desempenho para sua proposta. Podia ter um pouco mais de potência? Claro! Seria ótimo. Mas o seu foco não é esse. A moto foi feita pra ser leve, econômica e com baixo custo de manutenção. Mesmo eu estando acima dos 100kg ela não decepciona nos trechos de subida que fazemos todos os dias e mantém boa velocidade média entre 95 e 100 km/h nas subidas sem tráfego intenso.

Até agora já rodamos pouco mais de 4.300 km e tudo vai bem. Foram executadas as revisões de 1.000 km e 4.000 km sempre nas autorizadas da Honda conforme solicita o manual. E pretendo seguir assim até o final da garantia, uma vez que existem diversos casos de cabeçotes trincados em XRE com menos de 10.000 km rodados e que a Honda se nega a cobrir os custos para os proprietários que não executaram as revisões nas autorizadas. A Honda por sua vez jura de pés juntos que o problema dos cabeçotes que trincam foi totalmente sanado nos modelos 2015 como é meu caso, mas como seguro morreu de velho… estaremos marcando presença nas autorizadas até maio de 2016.

xre-100-dias-01

Picture 2 of 7

Uma ideia sobre “100 Dias com a XRE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *