Brasília a Jijoca 1º Dia

Dia 27/04/2013. Este é primeiro dia desta viagem para participar do 10º Encontro Nacional do XT600 em Jijoca de Jericoacoara-CE e às 06:00h desta fria manhã em Brasiília, todos os participantes do bonde já estavam presentes no local de partida.

Depois daquele tradicional cafezinho com pão de queijo, nos reunimos próximo de onde as motos estavam estacionadas e demos as mãos para fazer uma oração pelo nosso grande amigo Antonio Elival Lima, conhecido como Zerado que horas antes, no início da noite de sexta-feira falecera em um acidente com sua moto nas proximidades da cidade de Seabra-BA a caminho do Nacional.

A partida do colega nos fez cogitar o cancelamento da viagem, mas resolvemos continuar em frente pois tinhamos a certeza de que seria isso que o Zerado ia querer. E foi o que fizemos. E sempre que sua lembrança nos vinha a cabeça, renovávamos os pedidos de que ele estivesse bem e fosse recebido por nosso Senhor Jesus Cristo.

Então de forma tranquila saímos com o nosso comboio de 10 motos:
Patriota (DL650)
Wanzeller (XT660)
Tulio e Lu (G650 GS)
Rodrigo (Bandit 1250)
Celso e Marly (DL1000)
Walton e Sonia (F800 GS)
Diogo e Debora (Bandit 650)
Diogão e Marcely (F800 GS)
Hamilton e Shirley (G650 GS)
Alex e Esposa (Super Tenere 1200)

A meta do dia era percorrer por volta de 880 km e chegar até a cidade de Corrente-PI onde passaríamos a noite na pousada da Rose. Saindo de Brasília não demorou muito e alguns kilometros depois cruzamos a divisa entre o DF e GO passando pela cidade de Formosa-GO. Por volta de 220 km depois chegamos ao nosso primeiro ponto de reabastecimento das motos, o Posto Rosário. Este posto se localiza nos limites do municipio de Correntina-BA, onde cruzamos a fronteira da divisa entre GO e BA.

Divisa dos estados GO e BA

Divisa dos estados GO e BA

Dali continuamos a viagem em direção ao norte da Bahia para fazer novo abastecimento das motos e desta vez dos pilotos também. Almoçamos numa churrascaria em Luis Eduardo Magalhães próxima a BR 242. Ali já era possível sentir a mudança do clima, pois todo nós já reclamavamos do calor! Mal sabiamos o que viria pela frente.

Churrascaria em Luis Eduardo Magalhães-BA

Churrascaria em Luis Eduardo Magalhães-BA

O almoço foi no estilo “acabou, banhou”! Depois da última garfada foi só o tempo de passar no caixa, vestir a jaqueta, montar na cavala e voltar para o estradão. Poucos km depois o meu adversário mais difícil nesta viagem se apresentou. O sono! Como é difícil lutar contra ele. A gente canta, conversa sozinho, recita versos, sacode a cabeça e não tem jeito, ele continua forte. Pra não correr o risco de um acidente, nesses momentos paramos pra tomar um cafezinho ou mesmo lavar o rosto com agua fria para só então continuar a viagem.

Sempre em frente e lutando contra o sono!

Sempre em frente e lutando contra o sono!

Saindo de Luis Eduardo, ainda restava percorrer aproximadamente 310 km até Corrente-PI. Depois de passar por Barrreiras-BA, tomar a BR 135 e passar por Formosa do Rio Preto-BA, finalmente atingimos a divisa dos estados BA e PI.

Divisa dos estados BA e PI

Divisa dos estados BA e PI

Desse momento até a cidade de Corrente, a nossa primeira pernoite não demorou muito, mas já chegamos depois do pôr do sol para nos instalarmos na pousada da Rose e tomar aquela merecida skol depois de um dia inteiro pilotando as máquinas.

De Brasilia a Jijoca –> 2º Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *